noite de domingo

Noite, Beira-Mar.

– Mãããe! – a menininha passa correndo pela minha mesa seguida por outra, se estabacam no chão.

– Luísa, já tá cheia de areia! – a mulher trás uma bolsa enorme. Ele fica um momento em pé, atrás das 3, ele masca chicletes. Muito rápido se abancam, ela encaixa uma cadeira – pesada – na areia, ao lado da dele. As meninas parecem passarinhos.

– Posso pedir uma Coca, mãe?

Ele coça o nariz num gesto rápido e no seguinte apóia o cotovelo e segura o queixo. Mira o breu do mar. Está sem uma gota de paciência, eu sinto. A mãe grita pra maiorzinha:

– Margarida,na areia! NA AREIA, eu disse!

“Como foi seu dia?” ela havia perguntado e eu ouvi. Isso logo após a chegada em rebuliço. Ele, um homem mais jovem, pernas cobertas, tênis. Não era o pai. Ela, cabelos pintados, óculos. As meninas não falam com ele. Nem olham. A mulher está ali 3 em 1. Eles se beijam enquanto as meninas brincam de enterrar um canudo atrás das cadeiras dos dois.

Reinventam o submarino.

Anúncios

2 Respostas to “noite de domingo”

  1. Brusk Says:

    ai fernanda. entrevejo entreescuto essa beira mar todos os dias.
    é minha dose diária de teatro de verdade.

    se eu juntasse e conseguisse todas as histórias que tenho visto-ouvido, dava um livro. aliás, dois. um de muito choro. o outro de piada.

    noite de domingo, não a de ontem, aquela, pareceu contigo.

  2. André Says:

    : )

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: